Estações da Linha 4 do Metrô estão quase prontas

Fonte: Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário

Maior obra de infraestrutura em curso no país, a ligação do metrô entre Ipanema e a Barra da Tijuca deve entrar em operação em poucos meses. Testes operacionais já começaram a ser feitos na estação Antero de Quental, onde os sistemas de ventilação, iluminação e acessibilidade, como escadas rolantes, estão sendo verificados. Os elevadores também estão em montagem. O nível de acesso dos passageiros está praticamente finalizado e, em abril, um painel de azulejos que homenageia os surfistas começa a ser montado. As bilheterias também estão prontas.

Já na estação Jardim de Alah os trilhos estão sendo instalados, e as plataformas de embarque e desembarque seguem em construção, mas a ventilação definitiva já está implantada, bem como a sala de Comando Geral da estação e as duas subestações de energia. Quando estiver pronta e operando, a Linha 4, que está com 90% das obras concluídas, vai transportar 300.000 pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2.000 veículos por hora/pico.

Copacabana terá Parada Carioca para atletas

Quem passar por Copacabana pode conhecer o primeiro parklet da cidade projetado para atletas. A estrutura de madeira, que funciona como extensão da calçada e ocupa vagas de estacionamento, está sendo montada na Rua Constante Ramos. Com 20 metros quadrados, tem bancos, barras para alongamento e área emborrachada para exercícios, iluminação com LED e tomadas para carregadores de celular, abastecidas por energia solar captada no próprio espaço.

Tradicional na Europa, esse tipo de espaço chegou ao Brasil há dois anos. A cidade de São Paulo é pioneira na iniciativa. Em abril do ano passado, o prefeito Eduardo Paes autorizou a criação dos parklets, batizados de Paradas Cariocas. Atualmente, há quatro projetos em análise no Instituto Rio Patrimônio da Humanidade.

Qualquer pessoa ou empresa pode propor a construção de uma parklet às subprefeituras. O projeto é avaliado e, se for aceito, o responsável pela obra ganha uma concessão de um ano, renovável por mais um.

Para ser instalada, a Parada Carioca precisa ficar numa rua com velocidade máxima de 50km/ h. O responsável pelo espaço tem que arcar com os custos da obra e da manutenção. Se houver estabelecimento comercial em frente, é preciso autorização do proprietário, se ele não for o autor do pedido de construção.

Todos os parklets devem ter uma placa informando que a área é um espaço público e têm que estar, no mínimo, a 40 centímetros de distância das vagas de estacionamento mais próximas. É proibido vender qualquer tipo de produto nas Paradas Cariocas.