04.10 – Cabral Garcia realiza evento sobre o mercado imobiliário e hoteleiro

O evento “Oportunidades de Investimentos em Real Estate, Hotéis e Projetos Comerciais e Industriais”, realizado no Village Mall na Barra da Tijuca (RJ), contou com a presença da presidente da Rede Ramada, Erica Drumond, do diretor de desenvolvimento da Rede Ramada, Amilcar Meliczuk, do vice-presidente da ADEMI, Alexandre Fonseca e do diretor da Rio Negócios, Francisco Grelo que fez uma palestra sobre o mercado imobiliário direcionado a hotéis.

Cerca de 300 pessoas participaram do evento, entre investidores, clientes dos empreendimentos Townhouses Lapa e Copa, além de clientes potenciais.

Confira o depoimento dos principais convidados presentes:

Francisco Grello

Diretor Rio Negócios / Prefeitura do Rio de Janeiro

Pergunta (Beth Raposo) – Qual a importância de um evento como esse para a rede hoteleira no Rio de Janeiro?

Resposta: Este é mais um lançamento dos 18 mil quartos que estão em processo dentro da Prefeitura. A rede hoteleira da cidade até 2010 estava estagnada e a partir de uma lei que a Prefeitura lançou em 2010, houve um incentivo muito grande tanto fiscal quanto construtivo.

A gente começou a ter um crescimento gradativo nos últimos anos de novas redes vindas para a cidade, como por exemplo, a Ramada, que é esse evento da Wyndham, e outras redes que não tinham na cidade.

Então, a cidade tinha aproximadamente 20.000 quartos de hotel e hoje ela tem um processo dentro de Prefeitura de aproximadamente 18.000 quartos.

Pergunta – O que você acha assim para o investidor? É um bom momento para investir na rede hoteleira do Rio?

Resposta: Sim, claro. A cidade do Rio tem dois lados muito importantes. Tem a maior taxa média de ocupação do Brasil, então existe uma necessidade de se ter novos quartos para você aumentar a vinda de turistas e negócios para a cidade. É uma cidade de negócios também.

As pessoas pensam muito no Rio como uma cidade apenas turística, mas é uma cidade ótima para se trabalhar, se viver, para se investir.  Basicamente é isso.

Pergunta – Especificamente, nesses eventos da Ramada, quais os pontos relevantes para investir na Ramada hoje?

Resposta: A chance de um empreendimento como esse dar certo é total. Além da questão da taxa média de ocupação, a gente tem a maior diária média do Brasil. A chegada de novas redes faz com que a competição melhore e a distribuição de redes na cidade seja melhor.

Então, vejo esse investimento como um bom investimento para a cidade com mais ofertas de quartos e mais ofertas de redes que estão chegando à cidade. A Wyndham, que é a dona da Ramada, é a maior rede do mundo e ela é bem forte nos Estados Unidos. O Rio estava precisando de outras redes.

Amilcar Meliczuk

Diretor de desenvolvimento da Rede Ramada

Pergunta – Qual a importância de um evento como esse para a rede hoteleira hoje? Como está o movimento da rede hoteleira?

Resposta: O movimento é excelente. O Rio é a vitrine do nosso país. A gente tem uma grande oportunidade de desenvolver novos empreendimentos, novos produtos na cidade. Acho que o momento é fantástico.

Alexandre Fonseca

Vice-presidente da ADEMI

Pergunta – Qual a importância de um evento como esse para a rede hoteleira no Rio de Janeiro?

Resposta: Esse evento é importante porque mostra para as pessoas oportunidades de investimento, de cumprir as necessidades que nós temos para os eventos que o Rio de Janeiro e o Brasil se qualificaram, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. E as pessoas se interessarem pelo investimento que no Rio não tem outro lugar melhor para se investir em hotel, então, é um evento educacional, mostra às pessoas as oportunidades, tenta dar uma previsão do que vai acontecer e de como vai acontecer.

Pergunta – Hoje, o momento econômico da rede hoteleira é positivo?

Resposta: Principalmente para o Rio, muito positivo porque esse mercado ficou parado por muitos anos. Os hotéis da Orla de Copacabana são hotéis que foram feitos nos anos 80 ainda e, então, essa retomada da cidade com esses eventos esportivos, que são importantíssimos para trazer demandas de turistas, tanto turismo de negócios quanto turismo de lazer, para a cidade do Rio é muito importante. A gente viu esse movimento acontecer em diversas outras cidades ao longo do mundo, em que o turismo dobrou, triplicou e a gente está antevendo que isso vai acontecer no Rio também.

Pergunta – Para o investidor, como você vê a questão das frações ideais, você acha que é vantajoso para o investidor?

Resposta: Olha, o modelo mais comum utilizado é vantajoso porque ele vai ter uma liquidez para poder negociar isso depois, então eu acho positivo. Pelas questões de seguranças jurídicas necessárias eu acho que é super positiva sim.

Pergunta – Qual o primeiro ponto a ser destacado, o que mais chama a atenção na hora de implantar um empreendimento na rede hoteleira?

Resposta: É o pensar nas necessidades de quem vai usar o hotel no futuro. Quer dizer, o turismo de negócios precisa estar perto de uma centralidade, e hoje as cidades têm mais de uma centralidade. O Centro antigo do Rio não é suficiente para uma cidade com seis milhões e meio de habitantes com o é o Rio, então você tem que buscar outras centralidades. Está surgindo uma nova centralidade na Barra da Tijuca para esse turismo e vai ser necessário. Já estão sendo implantados hotéis na Barra da Tijuca para atender a esse turismo de negócios, e também o turismo de lazer, quer dizer, estar perto da Orla é sempre atrativo para as pessoas e a cidade do Rio por ter a praia, o sol ano inteiro é atrativo para o turismo de lazer. E o que vai ser instigado por esse movimento dos jogos olímpicos e a Copa do Mundo.

Pergunta – Então é o momento ideal agora para quem está buscando investimento?

Resposta: Eu acho, o Rio continua na frente de tudo.

Confira as fotos do evento